sábado, 22 de novembro de 2008

No post de hoje vou comentar sobre "Família", principalmente da minha. Pode ser que eu tenha um ponto de vista distorcido, porque vou me espelhar na minha família...

Sabe que eu nunca ví aquelas famílias que jantam todo dia juntinhos, pedem licença na hora de sair da mesa, falam 'bom apetite' e ainda ajudam a servir um ao outro... Não é impossível, mas mostram isso pra gente como se fosse algo tão normal, tão comum.

Hoje fiquei "cuidando" do meu primo... Ninguém respeita ninguém aqui, o pior é que cada um tem seus motivos, o que gera uma bola de neve de problemas. Logo, acrescentando coisas mínimas, a bola de neve logo logo vira avalanche, aí já é tarde demais. Foi isso o que aconteceu entre eu e minha mãe.

Será que dá pra recuperar o tempo perdido? Infelizmente, não dá pra saber a resposta, porque eu não a conheço e nem ela a mim. Não posso contar com ela para nada, nem para falar que eu me sinto ótima do lado do Gabriel (♥), que eu me sinto feliz quando ela me dá votos de confiança, mas ela... tem os problemas dela. Que eu AMARIA enfrentar ao lado dela. Mostrar que eu posso tentar ajudá-la, e que eu sei de 1/3 do que ela passa. Que eu não quero ver ela se afundar nesse buraco. Mostrar pra ela, que ela é muito importante pra mim.

Não fique feliz se sua mãe 'libera tudo'. Isso, pode demonstrar um 'tô nem aí pra ti, faz o que quiser, só não me mete no meio'... Se é que me entendem. Aquelas mães que não se preocupam. Que deixam vocês 'desaparecidos' na rua uns 2 dias e não mexem um dedo pra saber onde estão.

Confie, para obter confiança. Não vale SOMENTE para famílias, mães e pais, irmãos... como para amigos, colegas. Mas confie CONSCIENTE: Nem todos merecem e podem ter sua confiança. Alguns, infelizmente, a usam para fins próprios, para apunhalar você pelas costas depois. Olho aberto, sempre. Mas de qualquer forma, sempre com um sorriso no rosto.

Cuidem-se. =**

Nenhum comentário:

Postar um comentário