sábado, 1 de fevereiro de 2014

our fate is to fight


Falta fôlego -- a respiração tem sido escassa e parece ser a última. E isso é muito convidativo para a confusão fazer da minha mente o seu lar. Que seja temporário, mas que me ensine a não fraquejar novamente; afinal por favor, eu tenho alguém pra cuidar e que cuida de mim. Parece não haver sentido nisso tudo, mas acho que resume ao medo, aliada a ansiedade que tanto vem me torturando. Sofrimento este que sempre julguei estar acostumada, mas ele te apunhala de maneiras novas, te surpreende  e faz das suas noites as mais desprazerosas de viver.

Porque falta.. falta sentir você tão ofegante quanto poderia ser, aqui perto de mim.

Escalar a mesma montanha, escorregar nos mesmos buracos, refazer os tropeços. Um piso em falso e a culpa reina, regredindo toda a jornada e te fazendo cair. Cair em queda livre, por livre e espontânea vontade, indo contra os ventos e a favor da tempestade. Algo se instalou tão profundamente que já não seria capaz de reconhecer o que era. A cada dia, o tombo era maior. A cada dia, a esperança ia esvaindo, e levando consigo todo um futuro. Existia algo me puxando para baixo. Algo que em sua primeira tentativa, não me deu chance de revidar.

Eu era a minha própria ruína. Eu estava conflitando e lutando para tudo isso se dissipar e creio ter alimentado o bom lobo antes de começar essa briga, mas eu a perdi constantemente. O auto depreciativo era tão mais interessante nessa altura. Ensaiando meu próprio fim, e não deixando nenhum resquício de coisa boa pra trás.  O que me restava? O conformismo? Isso tudo era muito cruel, e ouso dizer, injusto.

Havia ajuda, de alguma forma, pra resgatar o ânimo e voltar a realidade mais cômoda... Em vez disso, eu consegui decepcionar quem me considerou forte algum dia.  Consegui levar à elas, um pouco do meu desespero. É insuportável causar algo dentro de si, que começa a influenciar nas pessoas que te querem bem..

Estou revisando saídas, esculpindo ideias na minha mente conturbada, até me ver livre desse labirinto que me leva a loucura. Eu não sei de onde virão forças, mas sei que o amor que guardo comigo é sábio.

Existe alguém me esperando lá em cima, pra continuar a trilhar comigo. Alguém que estou consumindo a cada passo errado que dou. Alguém que consegui elevar e mostrar o caminho certo, mas que ah, eu consegui me perder neste mesmo caminho. Oh, me perdoe. Eu não conheço minha força, nem a minha fraqueza. Eu sou um mistério que não consegue ser expressado sem parecer lunático. Eu sou alguém que tem sonhos e precisa conquistá-los... ao seu lado. Só ao seu. Me perdoe, e obrigada por me dar o apoio que tanto preciso nessas horas. Vivo por ti.

Mesmo morrendo um pouco por dia, e mais ainda nessas noites...

Nenhum comentário:

Postar um comentário