quinta-feira, 11 de março de 2010

(in)consciência

• A manipulada com a sede da manipuladora


A calmaria anunciou sua presença, mas encontrava-se pairante uma nuvem escura.
Ansear a paz e então desperdiçar com a inquietude.
A marionete enfim, havia solto os seus fios... Não haveria mais de se espelhar nas pessoas para aprender a viver. Não precisaria mais sucumbir aos seus enganadores amorosos, agora poderia sentir sua própria fome.
O seu reflexo era pesado, coisas haviam mudado e continuavam sem solução.
O medo de se tornar algo diferente já havia concretizado... Esta não sou mais eu.
Eu vou pensar adiante no que fazer com tantos vultos frequentes que se instalaram aqui dentro.

Porque então, a escuridão pode trazer surpresas para mim...

2 comentários:

  1. Já que está no escurinho, aproveita :3

    ResponderExcluir
  2. Momentos assim na vida são bem legais... onde conseguimos sair de um estado que nos encontravamos presos a tanto tempo e podemos, agora, olhar para nos mesmos com uma ideia, uma visão totalmente diferente. E o melhor de tudo, agora sabemos o que nos fazia mal, e enxergamos pra onde vamos, e escolhemos pra onde vamos.

    =*

    ResponderExcluir