sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

twinkle twinkle little star






It's my funeral, welcome you all.


 He puts the gun to her head
She tells him everything
Her voice is haunted like a dream
He sews the crack in his heart
Before he tears her apart
In the basement underneath


Aquela voz doce.. digo doce, porque pude saboreá-la. Pude degustar, pude desgostar. Mas preferi convidar ela a ficar no meu coração e manter ali por algum tempo... receio que o tempo esteja esgotando, pois a rouquidão se faz presente e o nó na garganta aperta, o sufocamento chegará ao ponto insuportável.

Tamanha doçura me deixou enjoada.

Procurando por uma resposta plausível para o enjôo, ouço vozes tão doces quanto.
Essa é diferente, essa era como uma música agitada, que tudo e nada dizia ao mesmo tempo..
A melodia que deixou os batimentos do meu coração extremamente confusos. Os olhos não acreditavam no que viam, parecia ser tocada pela primeira vez, parecia tocar outro tipo de chão, parecia voar, eu queria voar, eu estava voando... sem medir consequências; sem asas; sem pudor. Sem ponto final.

Porque eu ainda assim, queria mais. Um novo sentimento se alojou e outro criou força. O primeiro não tem nome, relativamente novo e inanimado, e o outro é a culpa. Qual deles é maior, qual é forte o suficiente? O eterno conflito dentro da mente, criando dúvidas nunca antes pensadas..

..Lutando por algo que não se sabe se vale a pena, se terá continuação, se houve algum começo, se merece algum começo.
O doce amargou. O gosto mais picante foi despertando curiosidade. E contra todas as leis e tabus, príncipes pareciam não mais me encantar.
...
"Ainda há algo doce dentro de você? Algo que não ficasse azedo, ou tão amargo, que te deixasse tão cega?"
Era a pergunta sem resposta, dentre tantas.

...
Eu fui muito além do permitido. Eu fui além das expectativas e da imaginação - eu rompi barreiras que ficarão atormentando minha cabeça por um tempo.
E esse tempo eu adoraria passar com você. Parece errado, não?
Mas o que é errado, depois de tudo isso?

Será que ainda estou sonhando? Espero que sim. Porque se acordar, vai ser de uma altura inimaginável.. Eu vou cair, e não sei; não faço idéia da desgraça que pode vir depois.
Mas convenhamos, estou num sonho que também pode ser chamado de ilusão...

Nada que possa voltar atrás. E se pudesse, não sei se voltaria.
Passei a ser tão egoísta nessas horas, que até me rebaixei a um nível que não achei que fosse chegar de novo. Mas eu consegui. Isso é bom? Não sei, só tenho um motivo pra isso ficar bom, e atualmente não tá dando certo.

E desde quando faço algo que dá certo? Destruir esperanças e amores - inclusive os meus?
Que monólogo gigante. Eu já fui melhor que isso. Mas cá estou eu - num buraco onde tem duas saídas, e as duas eu saio prejudicada. Por um ato que eu ainda desejo, por um ato que eu me sacrifico, por algo que pode ser sem valor mas que eu acabei dando valor demais.

Por me apegar demais, talvez. Por ser idiota, talvez.
Por ser criança, talvez.
Por gostar de mexer com fogo.. com certeza.
Se eu aprendi que mexer com fogo queima? Não. Ainda não.


Eu desperdicei algumas lágrimas e alguns sorrisos. Nenhum foi em vão, mas talvez fossem por bobagem. A vontade de parecer adulta vem crescendo, apesar de não ter estrutura pra isso.
E esse post tá muito mais transparente do que eu pensava.
Alguns entenderão, alguns não. Mas eu fico aliviada de poder registrar isso aqui.

Não gostaria de estar aberta à julgamentos, mas estou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário